Vida

PLANTAS EM CASA

By on 18 de agosto de 2017

IMG_0164blog_Foto Renan VianaEstou tentando escrever cada vez mais, pois, assim como plantas, a escrita é necessária para mim.

Costumo receber perguntas no meu Instagram sobre como cuido das minhas plantinhas ou quais eu indicaria ter em casa, e sempre respondo cada uma, porém ainda não havia deixado minha relação com elas registrada neste espaço.

Quando morava com meus pais, tinha no meu quarto a flor-da-fortuna (kalanchoe), suculentas, um cacto e uma planta conhecida como jade (ou também árvore da felicidade) essas duas últimas estão até hoje vivas e enormes, morando com eles. Quando comprei a jade nem imaginava que ela poderia crescer tanto, até porque comprei sem saber quem, de fato, era ela haha.

Bem, essas eram minhas plantinhas, aquelas que coloquei a mão no bolso para comprar haha, não sentia necessidade de comprar mais porque em casa meus pais já cultivavam (e cultivam) muitas plantas. Estava focada nos estudos da minha pós e criações da minha marca, logo, não dedicava tanto o meu tempo às plantas. Talvez isso esteja acontecendo com você agora, então, não se sinta mal por não ter um monte de plantas no seu quarto e, muito menos pressionado em ter plantas haha. Tenha o suficiente para você conseguir dar atenção! E, se você não pode dar atenção para nenhuma, não se sinta culpado porque tá tudo bem!

Processed with VSCO with hb2 preset

Na mudança para São Paulo, em 2014, você acha mesmo que eu e Renan já tínhamos nosso próprio espaço e eu cheia de plantinhas na mala? haha Não! Eu nem pensava em trazer plantas comigo. Só pensava no medo que sentia de mudar hahaha. Fomos conseguir nosso próprio cantinho após uns 4 meses, quando finalmente fomos para nosso apêzinho ou melhor dizendo, um kit de 25 metros quadrados, comecei a comprar um monte de cactos e suculentas. Como são, aparentemente, mais fáceis de cuidar, investia neles, até porque o lugar tinha apenas uma janela, era no terceiro andar e não entrava luz nenhuma do sol! Logo, alguns cactos e suculentas começaram a morrer, mas consegui trazer sete deles na mudança para o novo apartamento que vocês já conhecem e, após esses três anos, eles continuam comigo. Não comprava plantas porque não tinha condições de sobrevivência para elas naquele cantinho haha. Mesmo que digam “dá pra cuidar de plantas sim em apartamento pequeno!”, gente, cada um conhece sua realidade e se eu tava vendo que ali não dava, não ia tirar a plantinha da floricultura que está tão linda e bem lá. haha Mas eu comprava muitas, muitas flores de corte! Sempre estava florido nosso cantinho que mesmo sendo pequeno não me impedia de produzir muitas fotos. :)

IMG_0180

Quando mudamos para um apartamento maior e com varanda me realizei nas plantas haha. Agora sim um cantinho onde elas ficariam bem e com espaço para conseguir regar! Maior satisfação é poder ver minhas plantinhas tomando banho de sol, a luz entrando, a água escorrendo e ter por onde ir hahaha. Eu amo ter plantas comigo, mas eu amo mais ainda vê-las que estão bem comigo. E é justamente por isso que algumas plantas eu deixo de comprar porque mesmo tendo todo esse espaço, algumas não irão se adaptar. A primeira plantinha da casa foi presente da minha sogrinha, uma Palmeira. Ela começou a crescer tanto, ficou tão linda, mas são plantas que criam muitas raízes, ficando enormes e temos que estar dispostos a trocar sempre o vaso dela ou plantar em alguma área externa da casa, caso contrário, elas começam a perder suas folhas e não conseguem mais se desenvolver. Entendo que é uma planta que nasceu para ficar na terra, não em um vaso! Tem flor e planta que não nasceu para ficar em vaso, elas precisam de muito mais para que sejam felizes. Sabe liberdade? Pois é, todos precisamos, e não seria diferente com as nossas companheiras plantas.

Obrigada @estudiomanaca ♥
Obrigada @estudiomanaca ♥ – Esse cantinho já mudou um pouco desde essa foto porque algumas plantas cresceram (IUPIIII!!!) mas duas eu perdi. :/

IMG_0170 IMG_0173

Hoje temos jiboias, samambaias, aspargo, peperomia, rhipsalis, kalanchoe, comigo-ninguém-pode, palmeira, hera, papoula, babosa, suculentas, cactos pequenos e a Xica (nosso cacto maior). Para quem quer começar a comprar plantinhas, indico começar com a jiboia, pois além de ser uma planta que purifica o ar da casa, são muito resistentes, fáceis de cuidar, podem ficar enormes pois é uma planta trepadeira e não precisa receber sol diretamente, mas precisa que o ambiente tenha bastante luz natural. Mas, você pode começar com qualquer uma que faça seu coração bater mais forte.  As minhas já completaram 1 ano e preciso trocar o vaso  e fazer toda manutenção necessária para que cresçam mais bonitas. O clima em São Paulo também não tem ajudado muito, mas logo a primavera vai estar aí!

IMG_0175-2

Foto Natalia Viana casa

Plantas precisam de atenção, cuidado, muito amor e conversa. A presença delas é para nos fazer felizes, mas elas precisam também estar felizes com a nossa companhia. Acredito que não é preciso ter todas as plantas do mundo haha ainda mais agora com plantas em cada canto da internet, como se todos nós tivéssemos que ter plantas o mais rápido possível em nossas vidas. Sim, nós precisamos de plantas, defendo e digo sempre o quanto faz bem à saúde ter natureza por perto, mas que seja o suficiente para que todos estejam felizes e no seu tempo. Você cuidando dela e ela cuidando de você. Afinal, plantas não são um item de decoração para ficar encostadas num canto da casa, cheia de poeira, sem teu carinho, presença e conversa.

:)

IMG_0199

IMG_0183

IMG_0185 IMG_0198Foto Natalia VIana

É uma vida.

♫ julieta venegas – despedida ♫

Todas as fotografias são de minha autoria, por favor, não deixe de mencionar os créditos ao meu trabalho se for compartilhar. Você não tem permissão para alterar estas imagens e nem utilizar como meio de divulgação da sua marca. Seja legal! Entre em contato comigo e vamos criar juntos! 

Continue Reading

Vida

MÚSICA: CALONCHO + BÁLSAMO

By on 17 de agosto de 2017

Uma das coisas que mais amo é música. Amo tanto que não consigo imaginar minha vida sem ouvir música! Sou tão grata por poder escutar cada uma daquelas batidas e vozes que tocam muito meu coração. Sempre que estou ouvindo uma música que amo muito ou acabo de conhecer alguma que deixa meu dia muito melhor, agradeço a Deus por me permitir sentir.

Enquanto escrevo este texto, estou ouvindo o novo álbum de um músico mexicano que gosto bastante, o Caloncho. Como o próprio título do disco já diz, Bálsamo é feito de músicas de alívio, coragem e conforto. Bálsamo também é conhecida como um tipo de planta com diversas propriedades curativas, originária do continente asiático e africano. Estou encantada!

São 13 músicas e vou deixar registrado alguns trechos que me deixaram muito inspirada e, não apenas isto, estão fazendo um bem enorme para minha mente e coração. O bálsamo que levarei pra vida. :)

download

1. BÁLSAMO

“Un masajito de mente
Para activar buenos pensamientos
Música, como el abrazo de mamá
Bálsamo que suave alivia”

2. OPTIMISTA

“Somos polvo cósmico
Tratando de entender al tiempo
Y pronto poner en mi realidad
El sueño de experimenta”

3. EQUIPO

“Mensaje, mensaje para ti
Te quiero y te cuidaré
Equipo, equipo seguiremos siendo
Sincero es mi querer
Irse para atrás ¿pa’ qué?”

4. BRILLO MIO

“Quédate aquí en mi pecho, brillo mío
Nos mediremos con las manos otra vez”

5. HEDONISTA

“Creo en el karma
Todos pagan
Lo que un día les fiaron
La vida lo reclama”

6. NO ME CAIGO BIEN

“Aura de bálsamo
Te quiero en mi árbol”

7. DIARIO

“Tiempo es vida y la vida fue amarnos
Tanto que tengo y me dan más
Ay que fortuna amar”

8. MASCOTA

“Ella no te exige nada
Solamente te ama
Y conoce de abrazos
Lazos”

9. FOTOSÍNTESIS

“Dia a dia
El sol no para de iluminar
Hay luz para la fotosintesis”

10. AMIGO MUJER

“Cerca, te quiero cerca de mi…
concédeme tu compañía, el resto de mi vida
quédate cerca de mi… Soy tu amigo mujer, para siempre si quisieres”

11. BEBÉ

“Eres especial
Y el mas grande amor
Creación”

12. CAMPAMOCHA

“Por comida antes que a saludar
Pájaro que no vuela que agarre viada”

Fotografia: Diego Guillen
Fotografia: Diego Guillen

Música pode curar. Eu acredito.

Continue Reading

Vida

RAÍZES

By on 16 de agosto de 2017
Foto tirada pelo meu sobrinho de sete anos.
Foto tirada pelo meu sobrinho de sete anos.

Devo agradecer aos meus pais pela relação que hoje tenho com as plantas. Nasci e cresci em Belém do Pará e, até meus 15 anos de idade, morávamos num apartamento de 32 metros quadrados onde nunca havíamos tido uma varanda. Meus pais não cultivavam plantas naquela época, mas eles nasceram e foram criados em outra cidade que fica no Pará, chamada Santarém. A infância deles foi vivida no interior, com direito a banho no rio, subidas em árvores para apanhar frutas, mães costureiras, pescar para comer, aprender a construir seus próprios brinquedos, batalhar desde cedo para conseguir estudar e poder mudar suas vidas. Acredito que você já tenho escutado muitas histórias como essa porque ela faz parte da geração dos nossos avós e de muitos pais.

Senti vontade de escrever sobre isto porque eles sempre fizeram e continuam fazendo questão de me contar sobre suas histórias, para cada vez poder olhar e sentir o tanto de orgulho que tem das suas raízes. O que me fez ter uma infância e adolescência com todo o lado divertido que eles viveram: de contato com a terra, com a natureza, tomar banho de rio, caminhar descalço, tomar banho de chuva por vontade própria, comer fruta do pé (manga som sal haha), correr de medo das galinhas no sítio, ter contato com pessoas simples e tratar todas as pessoas da melhor forma, com igualdade. Ter fé muita fé, viajar de barco, ir à praia e afundar os pés na areia, e comer de tudo haha. Meu pai é louco por barcos e eles não dispensam um peixe assado haha! Com 10 anos de idade até os quinze, minhas férias sempre eram para Santarém, e amava de um jeito que lembro com alegria todos os dias. Eram as melhores férias do mundo para mim! Quando eles não podiam ir comigo, eu ia sozinha com meus tios. Hoje meu pai repete esses momentos com meu sobrinho de sete anos, e tenho certeza que ele jamais vai esquecer do que está vivendo agora.

A essência e presença dos meus pais reflete na pessoa que me tornei e na maneira de enxergar o mundo com olhar de encantamento, de um jeito leve e simples, e isso ficou muito mais evidente após sair de casa com 27 anos. Pois ainda tive muito o que aprender e valorizar durante a adolescência, ter essa base foi muito importante para encarar a mudança para uma cidade tão grande.

Estou bem perto de completar meus 30 anos de idade, continuo aprendendo e valorizando sempre mais cada retorno para o lar dos meus pais, uma casa construída há 15 anos por eles, onde podem cultivar as plantas que desejarem. Aprendi com eles o valor da simplicidade, sobre sonhos, aprendi a imaginar e criar! Quando perguntam sobre o que me inspira, eu nunca poderia dizer o nome de outra pessoa com uma história da qual eu não tenha vivido porque tudo começou na história de vida dos meus pais e na forma que tiveram para me mostrar o quanto a natureza é transformadora, onde a vida é muito mais do que vivíamos na capital e num apartamento de 32 metros quadrados, sem mesmo nunca conhecermos a Europa, e pode ser que isso nunca aconteça, mas estaremos felizes.

Aprendi que a vida é sobre o que ouvimos muito nos dias de hoje, sobre ser. É e sempre será sobre não ter a melhor roupa ou melhor celular, mas sobre ser o melhor que pudermos nessa caminhada. É sobre aprender com a natureza o poder das nossas raízes e não deixar de resgatar as melhores lembranças para sempre estarmos dispostos a florescer melhores.

Um texto para nunca esquecer de regar minhas raízes.

Continue Reading